Educação Literária

Educação Literária

 

Educação Literária...

"A Literatura obriga sempre o aprendiz – seja ele professor ou aluno – à prova da leitura, à decifração, à regulação das associações intertextuais, da imaginação, da memória, a uma resposta emocional, a um juízo, a um acto verbal ou de outra natureza, i. é, a um gesto desautomatizado, pessoal, avesso à repetição. O estatuto peculiar das obras literárias como seres incompletos, ávidos de interpretação e exigindo uma permanente revisão das categorias que aspiram a descrevê-los, gera hábitos disciplinares de aprendizagem e de produção de saber, fabrica atitudes que, por sua vez, marcam o próprio modo do conhecimento, sacudindo fórmulas e ideias feitas. Também a D. da L., que estuda e orienta a formação dos referidos hábitos, se deixa contagiar por esse desassossego. É que o núcleo da disciplina da D. da L. reside na arte de ensinar a ler textos, e ler pertence ao domínio sempre instável da experiência vivida."

(Margarida Vieira Mendes, "Didáctica da Literatura", s/v, in Biblos – Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa, vol. 2; p. 146)